Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Expectativas do varejo para o fim do ano aumentam, entenda!

Depois de um ano atípico por conta da pandemia do Coronavírus, as expectativas do varejo para o fim do ano aumentaram em 2021. 

Segundo pesquisa realizada em setembro pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), as vendas no mercado varejista devem registrar cerca de 4,9% de aumento neste ano. 

No entanto, alguns desafios ainda podem dificultar a recuperação do setor, como a alta da inflação. Para saber mais sobre o assunto, é só continuar a leitura!

O que esperar daqui para frente 

Conforme a vacinação contra a Covid-19 começou, foi avançando e as medidas restritivas foram ficando mais flexíveis, o mercado viu reacender uma luz. Com a volta da circulação das pessoas nas ruas, as vendas passaram a crescer gradativamente e as expectativas também aumentaram. 

Entretanto, apesar da boa previsão, o aumento do valor dos produtos é um fator que preocupa e pode dificultar a recuperação do comércio. 

De acordo com o presidente da CNC, é essencial tentar manter o equilíbrio diante dos preços elevados, pois isso afeta não só o progresso do setor, como o orçamento dos brasileiros. 

Entendendo o cenário e a recuperação gradativa do comércio 

Para se ter ideia do impacto da crise, um levantamento feito mostra que abril do ano passado foi o pior mês para o mercado, com uma diminuição de 58% no consumo se comparado com períodos anteriores à pandemia.

Já em maio de 2020, houve um crescimento gradual nas vendas que seguiu durante o segundo semestre, acompanhando a flexibilidade no isolamento social.

Contudo, no início de 2021, as medidas restritivas foram retomadas e ficaram um pouco mais rigorosas, fazendo com que, novamente, as vendas caíssem.

Foi a partir deste segundo semestre que os números cresceram de novo. Com a evolução da imunização e a liberação e abertura do comércio, mais pessoas foram às ruas. Só em julho deste ano, a circulação de consumidores ficou quase 10% a mais do que no mês anterior. Mas ainda continua menor do que antes da chegada do Coronavírus. 

As expectativas do varejo para o fim de ano, apesar do cenário de altos e baixos, é que as vendas aqueçam o mercado e tragam estimativas ainda melhores para 2022. 

E então, o que achou deste conteúdo? Continue acompanhando nosso blog e nossas redes sociais para ler outras matérias como essa! 

Posts relacionados

3 principais desafios das cobradoras e dicas para superá-los

Se a crise econômica impacta negativamente inúmeros segmentos, outros conseguem crescer. É o caso das empresas de cobrança e recuperadoras de crédito, que viram a demanda crescer a partir da crise econômica no Brasil entre 2014 e 2015. Boa parte dessa expansão pode ser explicada pelo aumento do número de pessoas inadimplentes. Mas não pense […]

Destaques

4 min

5 Dicas para você preparar sua loja para vender mais no dia das mães

O Dia das Mães, em volume de vendas, é a segunda data mais importante para o varejo brasileiro, perdendo apenas para o Natal. Por isso, sua loja deve estar pronta para um aumento considerável no movimento nos dias que antecedem essa data. Há poucas semanas, o site de comércio OLX fez uma pesquisa para identificar a percepção […]

Destaques

4 min