Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Como tirar a empresa do vermelho: veja 5 dicas de gestão!

A falta de gestão financeira é um dos principais motivos pelo qual empresas fecham suas portas. Saber como tirar a empresa do vermelho é uma tarefa que exige bastante esforço e dedicação. No entanto, praticamente todos os empreendimentos já estiveram no vermelho alguma vez. E Essa realidade é ainda mais comum em novos empreendimentos, pois estes ainda estão conquistando mercado.

Apesar de muitos empresários pensarem que “estar no vermelho” é ter poucas vendas, nem sempre significa isso. As vendas podem estar altas e a empresa no vermelho, por falta de gestão financeira.
Estar no vermelho é um sinal importante de alerta para sua empresa, de forma que a situação deve ser analisada e resolvida com muita seriedade.

Contudo, se você souber liquidar as dívidas de seu empreendimento, ele pode ser reerguido e fortalecido com novas práticas financeiras. Então, se sua empresa está no prejuízo, é o momento de ter calma e agir racionalmente para estabilizar as finanças.

Acompanhe agora as dicas que preparamos sobre como tirar a empresa do vermelho e garantir um crescimento sadio para o seu negócio.

Identifique o que levou a empresa ficar no vermelho

A primeira coisa a fazer é entender bem os motivos que levaram a empresa a chegar ao ponto do descontrole financeiro. Pode ser de erros no sistema que levaram a empresa a acreditar que tinha mais recursos do que, de fato, havia; pode ser que não há clientes o suficiente; pode ser que a empresa está tendo muitos gastos supérfluos, etc.

Nesse caso, um diagnóstico preciso é simplesmente essencial para que se consiga colocar em prática as medidas para reparar essas finanças. As causas deste revés serão a base para efetivamente corrigir a questão e estabelecer novas metas.

Após identificar os motivos que levaram sua empresa para o vermelho, que tal organizar um plano estratégico para não perder mais essa estabilidade financeira alcançada com tanto esforço? O ideal é estudar quais medidas podem e devem ser tomadas para que o futuro das finanças do negócio seja cada vez mais confiável e tranquilo.

Para melhor dinâmica deste tópico, gostaria de indicar uma ferramenta de qualidade que ajuda a levantar as causas-raízes de um problema, analisando todos os fatores que envolvem a execução do processo: O Diagrama de Ishikawa ou Diagrama de Causa e Efeito. Ele apresenta a relação existente entre o resultado indesejado ou não conforme de um processo (efeito) e os diversos fatores (causas) que podem contribuir para que esse resultado tenha ocorrido.

Na metodologia, todo problema tem causas específicas, e essas causas devem ser analisadas e testadas, uma a uma, a fim de comprovar qual delas está realmente causando o efeito (problema) que se quer eliminar. Eliminado as causas, elimina-se o problema. É uma ferramenta prática, muito utilizada para realizar a análise das causas-raízes em avaliações de não conformidades.

Renegocie e quite suas dívidas

Se a situação financeira estiver muito grave, não se deve perder tempo. O passo primordial nesse cenário é procurar os credores da empresa, a fim de renegociar as dívidas. Deve-se buscar mais prazo e uma ampliação satisfatória no número de parcelas a serem quitadas, dentro, obviamente, das previsões orçamentárias de sua empresa.

Se realmente houver a necessidade de se contrair um empréstimo, primeiramente analise com calma as condições e consequências dessa importante decisão e já entre no negócio com o compromisso de saldar tudo o mais rápido que puder, sem maiores delongas e claro, baseado em suas projeções de pagamento.

Corte qualquer despesa desnecessária

Quando o gestor realmente conhece como funciona seu fluxo de caixa, é capaz de entender melhor as despesas da empresa.

Por isso, também conseguirá identificar os gastos que se mostram como prioritários e essenciais, bem como aqueles que podem ser reduzidos, sem que a equipe perca em matéria de operacionalidade. Mapeie e analise com calma todos os gastos que seu empreendimento tem mensalmente e separe em duas listas os gastos fixos e as variáveis.

Em seguida, verifique quais são os gastos realmente essenciais para a manutenção do seu negócio. Todos os demais devem ser reduzidos, pois a prioridade são as dívidas. Mesmo os gastos essenciais são necessários rever, como por exemplo, os fornecedores atuais.

Talvez você encontre fornecedores dos mesmos produtos, com a mesma qualidade e preços reduzidos. Reavalie estoque, horas extras e descontos.

Economize em tudo o que for possível, desde despesas pequenas, como copos plásticos e folhas de papel, até nas contas de aluguel, luz, água e telefone. Analise com cuidado essa conjuntura e conscientize seus funcionários sobre a nova política de redução de custos, o que já é um ótimo começo.

Adote um software de análise de crédito

Um dos motivos pelos quais empresas acabam se endividando e muitas vezes fechando as portas, é a inadimplência de clientes. Segundo dados da Serasa Experian, 5,4 milhões de empresas e 61 milhões de consumidores têm dívidas atrasadas.

Controlar ou reduzir a inadimplência é um trabalho contínuo e muito importante. Para ganhar tempo e economizar custos, o segredo é automatizar ao máximo os processos e um dos grandes exemplos é a análise de crédito.

Análise de crédito é um processo organizado para analisar dados da pessoa ou futuro cliente. Tal procedimento é realizado com o objetivo de ser possível identificar os clientes que futuramente poderão não honrar com suas obrigações, acarretando uma situação de risco de caixa à organização.

O objetivo é analisar o histórico dos clientes, sua situação fiscal e os riscos de perda. A análise cruza dados do cadastro da empresa com informações dos órgãos de proteção ao crédito, como por exemplo a Serasa Experian, para indicar com alto grau de precisão os limites mais seguros para conceder crédito a cada cliente.

Através de uma análise de crédito mais profunda, o analista se torna capaz de definir o perfil de risco do cliente para cada venda feita a prazo, reduzindo assim, o risco de ter clientes mal pagadores em sua empresa.

Separe as finanças pessoais das finanças da empresa

Se você mistura as contas pessoais e empresariais, é muito difícil ter o controle financeiro correto e as chances de você voltar a cair no vermelho são muito grandes. Você precisa estabelecer um pró-labore e registrá-lo como gasto fixo da empresa.

Depois disso, deve registrar o lucro do negócio, deixando-o na conta da companhia para investir em seu futuro. Para saber mais sobre este tópico, veja nosso conteúdo “Educação financeira: 4 dicas para separar o dinheiro da empresa das finanças”.

Se você tiver dificuldades para gerenciar as finanças em um período de dívidas, não hesite em buscar ajuda profissional. Contrate um consultor ou uma empresa especializada em gestão financeira empresarial. Pois, embora pareça um gasto a mais, será um investimento para recuperar seu negócio. E Seguindo essas dicas, você tirará sua empresa do vermelho e melhorará seu controle financeiro para ter maior segurança no futuro.

Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário aqui embaixo!

Posts relacionados

Teve seu cartão clonado? Saiba o que fazer nessa situação!

Já recebeu alguma notificação de compra com o seu cartão que não foi realizada por você? Pois bem, isso provavelmente é um indício de cartão clonado. Saiba como identificar uma clonagem e o que fazer nessa situação!

Gestão e Negócios

3 min