Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

O impacto da gestão de risco de crédito no faturamento de sua empresa

Como muito se tem falado nos noticiários, você já deve ter percebido que o avanço da inadimplência entre os consumidores brasileiros tem sido um dos assuntos mais comentados. Segundo dados da Serasa Experian, em março de 2019 o país atingiu a marca de 63 milhões de pessoas endividadas. São 40,3% da população adulta brasileira: O recorde nacional. Diante desse cenário de alto endividamento, certamente sua empresa não é a única que vem passando por dificuldades para receber pagamentos em atraso.

O crescimento da taxa de inadimplência deve-se ao fato de estarmos passando por um momento que vem provocando diversos inconvenientes financeiros tanto para o empresário quanto para o consumidor. Por isso mesmo, é cada vez mais necessário ficar atento ao índice de inadimplência e adotar medidas práticas para evitar um agravamento dessa situação.

E por isso, hoje queremos falar da Gestão de Risco de Crédito: a principal maneira de combater a inadimplência. Acompanhe!

Entenda como funciona a gestão de risco de crédito

A possibilidade de inadimplência por parte de clientes gera o chamado risco de crédito, presente em quase todas as transações financeiras que pressuponham a confiança como um de seus pilares — e esse é o caso da venda a prazo.

Nesse contexto, gerenciar a situação é a maneira mais eficiente de reduzir os riscos inerentes ao negócio, bem como de assegurar que a sua empresa lide com os potenciais prejuízos derivados da ocorrência. Esse procedimento passa pela análise de crédito e por outras atitudes que serão verificadas posteriormente. E para isso, é preciso: 

  • apostar na capacitação para que a equipe detecte os riscos envolvidos na transação;
  • tomar decisões equilibradas;
  • desenvolver uma cultura de crédito sólida e alinhada às características do mercado e do empreendimento;
  • facilitar a comunicação para aumentar a transparência entre o setor e os clientes;
  • gerir apropriadamente os processos e o fluxo de informações da decisão de crédito.

Contudo, mesmo com a aplicação de todas essas iniciativas, diversos imprevistos podem surgir. A ideia é diminuir, ao máximo, as incertezas para aproveitar as oportunidades e gerar valor. O resultado é o aumento da vantagem competitiva.

A gestão do risco de crédito é importante em qualquer cenário econômico e para qualquer porte de empresa, especialmente em períodos de crise. Dessa forma, a empresa consegue se resguardar de interferências externas e pode alcançar um patamar mais significativo de saúde financeira.

Confira algumas dicas para fazer uma boa gestão de risco de crédito

A melhor maneira de gerenciar essa questão passa por algumas etapas. Confira!

1. Compreenda os riscos existentes

Os riscos são inerentes a toda transação comercial. Por isso, em primeiro lugar, é fundamental compreender o risco de crédito que impacta seu negócio. Esse procedimento passa por uma análise de forma que assegure a avaliação de todas as informações disponíveis.

Sem isso, é impossível saber se as reservas de capital refletem os riscos ou se aquelas relacionadas a empréstimos são capazes de cobrir as perdas no curto prazo. Assim, o empreendimento está mais protegido.

2. Conheça os 5 Cs do crédito

A gestão deste risco está embasada em 5 pilares. Veja quais são:

  • caráter — vincula-se ao histórico financeiro do cliente e sua reputação no mercado. Está diretamente atrelado a uma avaliação das transações anteriores;
  • capacidade — é a competência que sua empresa tem de honrar os compromissos assumidos;
  • capital — consiste no patrimônio líquido do cliente;
  • colateral — são as garantias oferecidas na transação, como imóveis e ativos;
  • condições — é a situação financeira do cliente, assim como as perspectivas e o potencial de crescimento ou declínio.

Partindo desses fatores, fica mais fácil tomar uma decisão segura e estruturar padrões de concessão de crédito para cada cliente, já que diferentes critérios são analisados e isso reduz as incertezas.

3. Utilize a tecnologia

A automação de processos dos riscos garante um alinhamento mais adequado às necessidades e uma consequente redução do risco de crédito. Com softwares específicos, como por exemplo o de análise de crédito, é possível avaliar informações de diferentes fontes, por exemplo: histórico de transações financeiras, históricos de inadimplência, relações com o mercado e outras empresas, consultas cadastrais etc.

Esses dados garantem mais solidez em relação às condições do cliente, o que oferece uma concessão de crédito mais segura. Em outras palavras, você protege sua empresa de possível inadimplência, sem deixar de oferecer ao consumidor com bom histórico de pagamento uma facilidade para quitar os produtos e serviços adquiridos. Mesmo que o consumidor não seja um bom pagador, de acordo com seu próprio histórico, é possível ver condições diferentes para este cliente.

Mas o que é análise de crédito?

Análise de crédito é um processo organizado para analisar dados da empresa ou pessoa física consultada antes da liberação de crédito. Tal procedimento é realizado com o objetivo de ser possível identificar os clientes que futuramente poderão não honrar com suas obrigações, acarretando uma situação de risco de caixa à organização. O objetivo é analisar o histórico dos clientes, sua situação fiscal e os riscos de perda.

A análise cruza dados do cadastro da loja com informações dos órgãos de proteção ao crédito para indicar com alto grau de precisão os limites mais seguros para conceder crédito a cada cliente. Através de uma análise de crédito bem-feita, o lojista se torna capaz de definir o perfil de risco do cliente para cada venda feita a prazo.

Esta ferramenta facilita a compreensão e exploração do risco do cliente e também cria estimativas precisas das probabilidades dos créditos a serem pagos definindo um critério que visa a minimização das perdas.

O gerenciamento apropriado do risco de crédito traz como benefícios:

  • aumento das vendas e da rentabilidade pela classificação de clientes de baixo risco.
  • otimização do processo e redução de despesas para tornar o procedimento menos dependente de recursos humanos e com menor propensão a erros;
  • diminuição das perdas pela limitação dos clientes com risco elevado;
  • melhor relacionamento com o cliente, etc.

Como você pôde ver, fica evidente que a gestão de risco de crédito é fundamental para a empresa. Ela assegura sua estabilidade e regularidade financeira, além de permitir o fechamento de bons negócios.

E aí, ficou mais claro pra você como a gestão de risco de crédito influencia no faturamento de sua empresa?

Quer começar a consultar CPF`s em sua empresa e de forma totalmente gratuita? Clique abaixo e conheça nosso plano free. Através dele você conhece nossa plataforma, faz consultas gratuitas e com o tempo descobrirá qual o plano ideal para sua empresa.







Posts relacionados

8 Dicas de Crescimento para micro e pequenas empresas

As empresas que querem se manter e se destacar no mercado precisam estar sempre buscando por inovações que as diferenciem da concorrência. Mas só isso não basta. É necessário também que se elabore a estratégia de crescimento de uma empresa.  Trata-se de um conjunto de ações estrategicamente pensadas com o objetivo de promover o progresso […]

Destaques

7 min

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Feito por Nerau Studio